07 março, 2014

Conta, propriedade e perfil no GA

Uma vez criada uma conta no Google Analytics, o Google cria automaticamente uma Propriedade e um Perfil para você. Ambas são exibidas logo após o login e podem ser reconhecidas de acordo com a estrutura hierárquica exibida na figura abaixo.
Conta, Propriedade e Perfil no Google Analytics
Fig. 01 – Conta, Propriedade e Perfil no Google Analytics
Ter pelo menos uma Propriedade e um Perfil é condição sine qua non para acessar os relatórios de dados coletados para o seu website.

CONTA
A sua conta do Google Analytics funciona de forma análoga a um porta-arquivo clássico de escritório. Cada porta-arquivo corresponde a uma conta do GA. A conta corresponde ao nível de administração mais elevado, mas também, o mais genérico. É somente nesse nível onde se pode excluir usuários no GA, excluir filtros ou vincular sua conta ao Google Adwords ou ao Google AdSense.
Conta no Google Analytics
Fig. 02 – Conta do Google Analytics
Cada conta (porta-arquivo) possui, no mínimo, uma propriedade (gaveta) e um perfil (pasta suspensa). Mas nada impede que uma conta possua várias propriedades, cada uma com vários perfis. Ou ainda que você possua várias contas do GA, lembrando que o limite é de 100 contas por e-mail cadastrado.

A esta altura, você deve estar se perguntando quais são os critérios que devem ser levados em consideração para definir isso. Mas antes, vamos entender o que é e para que serve uma propriedade.

PROPRIEDADE
A propriedade (gaveta) serve basicamente para ajudar a organizar a coleta de informações por parte do GA. Informações essas que serão exibidas depois nos diversos relatórios. A propriedade serve para atender diferentes propósitos.

Por exemplo, para armazenar de forma separada informações do site (Propriedade 1) e do blog (Propriedade 2), já que é possível que leitores do seu site e do seu blog tenham comportamentos diferenciados. Leitores do site podem ser clientes que o acessam para se logar em áreas específicas ou possíveis clientes, que buscam informação sobre o seu produto. Leitores do blog estão interessados em informações, mas nem todos fazem parte do seu público alvo.

Propriedades também servem para analisar diversos subdomínios de forma independente como .com, .com.br, .it, .es, .co.uk... caso você tenha um site disponível em vários idiomas.

Fig. 03 – Account Setup Google Analytics - Best Practices

Propriedade no Google Analytics
Fig. 04 – Propriedade no Google Analytics

A propriedade corresponde ao nível de administração técnico. É aqui onde estão detalhes importantes como o seu código de acompanhamento do Google Analytics, por exemplo. Nesse nível você também define a URL (endereço) do seu site, blog etc.
Entre outras funções técnicas importantes realizadas no nível da propriedade, podemos citar:

  • integração com o Google Webmaster-Tools
  • configuração do tempo da sessão
  • gerenciamento dos mecanismos de pesquisa orgânica (google.com.br, bing.com, yahoo.com etc)
  • adição/exclusão de sites de referência
  • exclusão de termos de pesquisa orgânica
  • criar dimensões e métricas personalizadas
  • configuração de redes sociais


Aqui também é possível administrar usuários, que terão o direito de visualizar ou modificar as informações disponíveis nesse nível. Mas lembre-se que os usuários só poderão ser EXCLUÍDOS no nível da conta.

O limite de propriedades que você pode criar por conta GA depende da quantidade de perfis que você tiver. Considerando que o limite de perfis por conta GA é 50 e cada propriedade tem que ter pelo menos um perfil, esse limite pode variar, mas, jamais passará de 50 propriedades (se você tiver apenas um perfil por propriedade).

ATENÇÃO:

  1. Não é indicado utilizar propriedades para diferenciar os seus clientes
    (ex: cliente 1 = propriedade 1, cliente 2 = propriedade 2). Isso porque, ao atribuir o papel de administrador para qualquer um de seus clientes e/ou funcionários, você também estará habilitando essa pessoa a visualizar informações de outros clientes, ferindo questões éticas e profissionais. Você não gostaria que seu concorrente soubesse a receita gerada pela sua empresa no mês passado, né?
  2. Importante: Não é possível reagrupar informações entre uma propriedade e outra posteriormente, pois cada propriedade recebe um código de acompanhamento único. Portanto, pense bem antes de agrupar ou segmentar a coleta de dados. Claro que, como tudo na vida, há prós e contras.


PERFIL ou VISUALIZAÇÃO DE PROPRIEDADE
Toda propriedade precisa de, pelo menos, um perfil. É no nível do perfil (pasta suspensa, no nosso exemplo) que serão exibidas as informações coletadas pela propriedade.
Perfil no Google Analytics
Fig. 05 – Perfil no Google Analytics
Essas informações são exibidas em forma de relatórios, que você já deve conhecer. É possível ter vários perfis dentro de uma propriedade. Não esqueça que o máximo permitido são 50 perfis por conta GA.

Os perfis exibem informações de forma paralela e independente, ou seja, as alterações que você fizer em um perfil não afetarão os demais. Assim, um perfil pode ser duplicado, modificado ou excluído, sem que os demais sofram qualquer alteração. Da mesma forma é possível criar dashboards personalizados, metas, alertas e filtros diferentes para cada perfil, sem afetar os demais.

Essa característica permite que cada visualização do perfil seja modificada a partir da aplicação de filtros. Os filtros modificam os dados coletados pela propriedade e servem para diferentes propósitos, seja para excluir o seu tráfego interno ou para exibir apenas visitantes de uma determinada região ou ainda para exibir informações específicas do seu site.

Essa última função pode ser bastante útil para distribuir somente as informações pertinentes a cada setor da sua empresa, sem sobrecarrega-los com excesso de dados. O departamento de marketing provavelmente precisa de informações diferentes do departamento de TI, por exemplo. Outra aplicação interessante dessa funcionalidade é quando se quer analisar algo de forma isolada, por exemplo: se o setor de notícias é o que mais atrai leitores para o seu site, vale à pena investiga-lo mais a fundo.

É nesse nível administrativo onde você define uma série de detalhes importantes relacionados aos dados que devem ser exibidos nos relatórios do GA

  • fuso horário
  • moeda local
  • ativar/desativar a função e-commerce
  • ativar/desativar o acompanhamento de pesquisa interna
  • criar alertas personalizados
  • definir metas
  • agrupar conteúdos
  • administrar modelos de atribuição de canais que participam do e-commerce


ATENÇÃO:

  1. Ainda que os filtros sejam extremamente úteis, é importante manter um perfil não filtrado, ou seja, sem filtros. A partir do momento que um filtro é aplicado, as informações coletadas pela propriedade são modificadas. Considerando que não é possível reprocessar essas informações caso haja algum erro. Isso significa que as informações excluídas pelo filtro serão definitivamente perdidas.
  2. Por uma questão de segurança, é importante ter sempre um perfil para testar filtros, métricas e dimensões personalizadas, eventos ou quaisquer outras alterações realizadas antes de aplica-las ao seu perfil principal. Isso evita a perda de dados ou desvios nos dados de seu perfil principal durante o período de testes.


Como organizar sua conta GA?
Claro que cabe a você identificar qual é a maneira mais adequada de organizar os seus dados no Google Analytics, conforme as necessidade do seu site, empresa ou negócio. Entretanto, há algumas considerações que eu julgo bastante importantes e que devem ser pensadas desde o início.

Website e blog devem ter uma propriedade única ou serem alocados em uma mesma propriedade?
Antes de responder a essa pergunta, preciso esclarecer um assunto importante: sampling. A grosso modo, podemos dizer que o sampling é um recurso estatístico que ao invés de exibir absolutamente todos os dados coletados, exibi-se apenas uma amostra (parte do todo), a partir da qual se pode inferir tendências gerais.

Para agilizar o processo de exibição de dados nos relatórios, o GA utiliza o sampling sempre que:

  • um site recebe mais do que 10 milhões de hits*
  • um site recebe mais do que 100 mil visitas por mês
  • o número total de visitantes para uma propriedade, no período de tempo selecionado, ultrapassa a marca de 500 mil visitantes

Por hits* entende-se uma determinada ação realizada no site que pode ser o fato de gerar uma pageview, disparar um evento ou fazer uma transação.

O resultado prático é que apenas uma parte dos dados coletados serão processados e exibidos em seus relatórios do GA.

Como evitar o sampling?

Os prós...
Para evitar que isso aconteça, pode ser que seja necessário segmentar a coleta de informações em várias propriedades diferentes, a fim de reduzir os riscos de atingir esses limites.

Grandes corporações ou proprietários de websites que possuem tráfego superior a esse limite devem refletir sobre a possibilidade de migrar para o Google Premium, a versão paga do Google Analytics ($ = por volta de 150 mil dólares por ano), na qual é possível exportar relatórios sem sampling em formato CSV.

Os contras...
Por outro lado, segmentar os dados em diferentes propriedades conta com o inconveniente de que as informações serão exibidas em relatórios separados e não poderão ser integrados em uma única interface. Uma solução para permitir essa "integração" é criar uma nova conta, na qual todas as instâncias do seu website (site principal, blog, área de login etc) são agrupadas em uma propriedade. Esse recurso é conhecido como Roll-up Report.

O sampling será aplicado, mas você poderá ter uma visão geral de seu negócio em um único relatório. Isso é mais recomendado para departamentos administrativos estratégicos, que precisam de uma visão geral para definir investimentos futuros ou identificar novos mercados de atuação, mas o fazem baseados em tendências, ao invés de utilizar dados absolutos.

Caso você opte pelo Roll-up Report, ressalto que para isso é necessário fazer alterações no seu código de acompanhamento do GA (também chamado de GATC). Detalhes sobre esse tipo de relatório você encontrará nos próximos posts.

Usando propriedades separadas, os visitantes do seu site principal serão contados novamente como visitantes do seu blog, por exemplo. Para resolver isso, você pode marcar com um cookie os visitantes que já estiveram em alguma instância do seu site, a fim de reidentifica-los posteriormente por meio de variáveis ou dimensões personalizadas. Assim, quando ele voltar, ele será identificado devido a presença do cookie.

Claro que se o usuário desabilita ou apaga os cookies de seu computador, os dados dos seus relatórios e do Google Analytics em geral sofrerão deturpações.

Como você já deve ter percebido, toda decisão desencadeia uma relação de prós e contras que devem ser avaliados conforme os objetivos a serem atingidos e os dados pertinentes às suas tomadas de decisão.

De qualquer forma, dados provenientes de Webanálise representam uma tendência e devido à possibilidade do usuário desabilitar ou apagar os cookies de seu computador, os números absolutos nunca são 100% confiáveis.

Mas posso assegurar que essa tendência é valiosa o bastante para nortear suas decisões e compreender melhor seus usuários, clientes e potenciais clientes.

Leia também: